Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Prefácio

No prefácio de José Guimarães Monforte, presidente do Conselho de Administração do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, são destacadas as seguintes características deste livro

  1. Conceitos precisos e claros.
  2. Estruturação e organização do pensamento: cuidados com a sequenciação e a construção lógica da exposição.
  3. Proposições inovadoras.
  4. Contextualização e análise do caso brasileiro.
  5. Amplitude seletiva das fontes.
  6. Foco em funcionalidade: modelos, sistemas, processos e práticas.
  7. Tendências bem fundamentadas: convergência, adesão, diferenciação e abrangência.

Extratos

¨…não foram poucos os especialistas que se referiram a este trabalho como bíblia da governança. Novamente revisto, ampliado e atualizado, certamente consolidará este reconhecimento.¨

“Por este conjunto de características, esta obra de Adriana Andrade e José Paschoal Rossetti é uma contribuição de enorme valor para este momento e também uma base de preparação do modelo futuro de governança da nova corporação brasileira”.

“A pesquisa aqui realizada não encontra similar em nosso país”.

“ Nesta quinta edição, a contribuição dos autores se reafirma e se amplia. Foi ampliada a análise das dimensões da Governança Corporativa, Com a introdução das dimensões propriedade e perenidade . Adriana e Rossetti desenvolveram os 8Ps da Governança Corporativa:  A tipologia da propriedade é um dos principais elementos definidores da Governança. Os princípios são derivados dos códigos de condutas que devem orientar as diretrizes e políticas corporativas e dos valores que devem prevalecer no mundo dos negócios: 1. fairness; 2.  disclosure; 3 accountability; 4 . compliance.  Os propósitos convergem para o máximo retorno total de longo prazo dos shareholders. A segregação de papéis resulta das diferentes atribuições dos proprietários, conselheiros e gestores- os três principais agentes da governança. O poder emana dos proprietários, independentemente do grau de dispersão do capital de controle. As práticas visam o estabelecimento de canais fluidos de informação e de bom e consensual sistema de tomada de decisões e acompanhamentos das ações decorrentes.A perenidade é o objetivo  último das companhias sustentada por bons resultados econômico- financeiros, sociais e ambientais. E, na sustentação de todo o sistema estão as pessoas- condutoras do conjunto dos legados e dos objetivos que são vida e continuidade às operações corporativas.

Uma síntese conceitual: os 8 Ps da governança corporativa.

Se realmente estamos diante de uma janela de oportunidades em nosso país, esta obra vem oferecer um forte alicerce, uma importantíssima moldura conceitual para o desenvolvimento de nossas organizações, das pessoas que as conduzem e das lideranças hoje em formação nas universidades”.